terça-feira, 4 de agosto de 2015

A saudade miúda...

Ontem dei uma geral no armário do Victor: tirei em definitivo as roupas de recém-nascido, as de 3 meses que não cabem mais nele e organizei as gavetas de maneira mais prática para essa nova fase das saídas frequentes (roupas do dia-a-dia na gaveta de cima, roupas mais arrumadinhas na gaveta de baixo...). Coisas de mães com TOC (Como eu! Rs), mas que facilitam muito a nossa rotina sempre tão corrida. Ou seja, pensamento funcional em ação e mãe satisfeita... Lindo!! :)

Mas, confesso que por alguns instantes, olhei para aquelas fofuras de recém-nascido e bateu uma saudade...

Comecei a lembrar de cada momento dele vestindo aquelas roupas miúdas... Tão pequenas, que uma meia dúzia não houve nem tempo de usar! Afinal, todo mundo fala e é a pura verdade: os bebês crescem rápido! 

Lembrei as muitas cenas daquela fase: das longas sonecas no Moisés (Ai, ai... Saudadona! Kkkk), da insegurança inicial, da “saga” das mamadas na madrugada, dos banhos, dos jatos de cocô “surpresa” no trocador, do cansaço e do prazer ao mesmo tempo, da “brincadeira de boneca” da vida real (no meu caso, boneco! Rs..) e como eu colocava cada roupinha e adorava vê-lo tão fofo e, principalmente, muito confortável e seguro. Afinal, esses são os principais atributos que uma roupa para bebê necessita de verdade.

Parecia que tinha sido ontem que as roupinhas dele tinham sido lavadas com tanto carinho (ver aqui), esperando aquela chegada tão desejada!

Por alguns instantes, olhando aqueles pedacinhos de pano naquela arrumação, senti uma suave nostalgia envolvida em um pôr do sol bucólico...

Contudo, como é da minha natureza encontrar o lado bom de tudo (acho que resquícios da geração Pollyanna), lembrei imediatamente a mim mesma que meu Victor não podia mais usar aquelas roupinhas justamente porque estava crescendo forte e saudável! E esse crescimento cheio de descobertas, risinhos meigos, choros de emoção, adaptações e aprendizado mútuo era tudo que essa mãe saudosa aqui sempre sonhou...

Imediatamente, comecei a organizar as roupinhas da nova fase e a imaginar novos cenários, novas descobertas, novas aventuras nesta longa jornada, onde apenas os capítulos iniciais já se passaram...

E tudo indica que as cenas dos próximos capítulos serão ainda mais cheias de fofurices e de muito amor! Sempre.

Acho que a lição aprendida é que devemos aproveitar cada fase ao máximo, com os olhos, braços e corações bem abertos!

Porque é tudo muito intenso, mas passa, tudo passa. E passa rápido! O que ficam são as lembranças daqueles dias e noites como um filme em nossa mente: o começo do filme mais lindo da minha vida, da nossa vida juntos... O começo de um filho, o começo de uma mãe.

E que venham muitas outras roupinhas a ficarem apertadas e “coronhas”!!!! :D
Mas, vamos combinar: não tenha pressa, tá, Victor? Deixa passar devagarinho... 
Quero gravar na minha mente as imagens destes momentos ao seu lado, meu filho! 
O coração da mamãe agradece... ;)

sexta-feira, 24 de julho de 2015

O que importa, afinal: o tipo de parto escolhido ou o sucesso do nascimento do bebê?

A resposta, em alguns casos, não é tão óbvia assim!


Durante toda a minha gestação, eu li, pesquisei e estudei muito. Não só sobre o desenvolvimento do meu bebê, mas sobre todo o aspecto social, afetivo e psicológico de uma gravidez e do puerpério.

Mas, ao mesmo tempo em que estudava, ouvi algumas coisas de pessoas que não sabiam o que falavam! E, obviamente, quanto mais me aprofundava nos temas, mais me dava conta disso... E pasmem: não eram só leigos que falavam coisas sem sentido, ouvi de alguns médicos também coisas absurdas e que não tinham qualquer amparo científico.

Enfim, percebi que informação de qualidade e confiável é tudo!
Percebi também que todo esse emponderamento como mulher e como mãe foi para descobrir a força que existe dentro de mim e me ajudar a fazer escolhas que preservassem o meu próprio bem-estar e, principalmente, o do meu filho.  

Mas, somente perto do final desta jornada, foi que pude materializar o princípio de que o parto escolhido em si (e cada detalhe que envolvia o seu universo) não era o objetivo principal de fato. O importante era ter serenidade e bom senso para fazer as escolhas necessárias para que a VIDA e a SAÚDE do meu bebê e minha estivessem nas melhores condições possíveis.

Parece óbvio, mas tenho visto casos onde algumas pessoas parecem colocar o tipo de parto escolhido em um "pedestal", esquecendo que o mais importante é a integridade física e psicológica da mãe e do bebê.

Confesso que, inicialmente, ao fazer meu Plano de Parto, eu não havia colocado nada referente a uma "possível" cesariana necessária. (Veja aqui o que é um plano de parto e porque fazê-lo). Para ser bem sincera, além de ter chegado à conclusão de que um parto normal era a melhor opção para mim e para o meu filho, eu tinha pânico de fazer uma cesariana! De ser cortada, dos pontos, da cicatrização, do pós-operatório... Enfim, de tudo!  Na minha cabeça eu só pensava: claro que vou ter um parto normal! Estou me preparando para isso!

Foi somente depois de assistir a uma palestra de uma doula, que eu parei realmente para pensar com clareza que nem sempre tudo ocorre como planejamos ou desejamos... (Aliás, quase nunca!)
Na palestra, a doula dizia mais ou menos assim: "A cesariana já salvou muitas vidas! É para isso que ela existe... Quando mãe e/ou filho estão em risco de morte, a cesariana pode ser a cirurgia que irá salvá-los!"
Gente, aquilo foi um choque de realidade para mim e um nocaute nas minhas “certezas” sobre o nascimento do meu filho!

Passei a questionar: e se houver alguma complicação durante o trabalho de parto?? Eu estava preparada para encarar uma realidade tão diferente do que planejei? Como seria enfrentar algo que me causava tanto pânico?! E mais: como ficaria minha cabeça depois desta experiência?

A partir daquele momento, o tema "cesariana" ficou muito mais leve para mim... Pois eu não tinha dúvidas que o mais importante era a saúde e a vida do meu bebê! Então, se eu tivesse que “ir pra faca” para garantir estes aspectos, mesmo não desejando de jeito nenhum essa realidade, não pensaria duas vezes em ir para a mesa cirúrgica!

Sendo assim, incluí no meu Plano de Parto todos os procedimentos que gostaria e que não gostaria que fossem realizados, caso uma cesariana fosse realmente necessária (A versão final na íntegra, basta clicar no tópico "Mais informações" ao final do post).
E, também, cuidei de preparar minha cabeça caso a cirurgia viesse mesmo a acontecer, pois eu já tinha me conscientizado naquele momento que poderiam haver situações onde o procedimento cirúrgico seria a opção mais sensata e segura a ser feita.

Mas um pequeno grande detalhe fez toda diferença: eu tinha TOTAL confiança na minha médica! A plena certeza que ela só indicaria a cirurgia se fosse REALMENTE necessária. Isso fez toda diferença para eu me sentir segura e respeitada em minhas escolhas.

Felizmente (!!!), meu filho nasceu saudável, de parto normal hospitalar, sem nenhuma intervenção... E, claro, muitas coisas não aconteceram como eu havia planejado! Mas eu, poucas horas depois do parto, estava lépida e faceira andando pelo quarto da maternidade com meu lindo bebezinho no colo! Até o pediatra do hospital se admirou quando me viu no dia seguinte: “Ué, foi você que pariu ontem à noite?” De tão bem que eu estava! Rsrsrs...

Acho que por isso sinto tanto quando vejo mães que idealizaram seu parto normal, mas que, por algum motivo realmente indicado, tiveram que se submeter a uma cesárea... Vejo que muitas delas quase (ou de fato) entram em depressão por isso!

E toda essa frustração tem um motivo.... A meu ver, em seu emponderamento, aquela mulher só aprendeu do que era capaz, que deveria ser a protagonista do parto, que ninguém deveria dizer que ela não podia decidir sobre seu corpo... Mas, nesta caminhada de preparação, ela se esqueceu de que uma intervenção necessária pode sim ocorrer e com qualquer uma!! Pois, a cesárea existe para salvar vidas, quando isso é necessário, lembram?

Se até com pessoas que são defensoras ativas (e praticantes) do parto normal, muitas vezes necessitam de uma cesariana... Imaginem! Ironia do destino? Talvez... Mas, a Vida é meio irônica mesmo. Acho que para nos lembrar de que não podemos controlar tudo.

Sendo assim, eu continuo a me perguntar: quantas mulheres não pensam no plano B? Quantas não se frustram profundamente quando nada acontece como planejado? Ou pior: quantas tentam até o fim aquela opção que elegeram e acabam pondo em risco a própria vida e a do seu bebê?
Certa vez, após ser noticiada uma fatalidade decorrente de complicações em um parto normal hospitalar, uma amiga fez um sério e importante questionamento: será que existem mulheres que preferem manter o tipo de parto escolhido, mesmo que isto represente riscos reais e iminentes a sua vida e a do seu filho???

Ou seja, até que ponto esta pressão interna ou externa faz essa mulher perder o foco desta nova vida...? É tão importante assim "parir" ou é mais importante o sucesso do nascimento do seu bebê?

É algo a se pensar...

Por fim, se eu pudesse dar um conselho à uma mamãe, eu diria: prepare-se para receber seu filho, um presente Divino, mas o objetivo principal na jornada de uma mãe consciente e empoderada está na preservação da saúde e da vida do seu bebê e dela mesma!
Afinal, você não será "menos ou mais" mãe, ou o seu bebê "menos ou mais" amado pela forma como ele precisou vir ao mundo!!! 

O importante é a tranquilidade de saber que você fez o melhor possível: para os dois! ;)


Bjssss e desculpa o texto gigante!!! :D




terça-feira, 18 de junho de 2013

Quantos corruptos existem no Brasil??

Sempre fui e sou a favor da sociedade se conscientizar das mazelas que existem em nosso país e reagir!


 

Tenho observado os últimos acontecimentos e vejo bravos de “O Gigante acordou...”, “Vai Brasil”, “Verás que um filho teu não foge à luta”.

Mas, tenho minhas dúvidas se realmente o povo abriu os olhos de verdade!!!!


 

Existe uma frase célebre que diz: “Aqueles que não conseguem se lembrar do passado estão condenados a repeti-lo”.


 

Desde o episódio da “descoberta do Brasil” pelos Portugueses, vivenciamos séculos de extrativismo e exploração.

A criação dos Donatários e das Capitanias Hereditárias, especialmente no Nordeste, foram os precursores no Brasil do conceito de favorecer os “mais chegados”, do domínio territorial pelo poder, da exploração das pessoas menos favorecidas e da devastação dos recursos naturais.

Relembrando ainda o passado histórico, em 1808, ao fugir da invasão de Napoleão em Portugal, os piores espécimes que cultivavam o poder e o benefício próprio na corte Real Portuguesa desembarcaram de mala e cuia em solo tupiniquim.

Essa, em minha opinião, foi a pá de cal para que aqui se incrustasse de vez a herança podre de corrupção, de levar vantagem a todo custo, de desrespeito a qualquer direito coletivo e da prevalência dos ricos sobre os pobres, dos cultos sobre os analfabetos, dos fortes sobre os fracos.

Desde então, ao longo deste período, algumas mudanças até ocorreram, mas alguns nomes só foram trocados: de donatários para políticos, das capitanias hereditárias para as empresas privadas, de escravos para trabalhadores assalariados.


 

E hoje, passados mais de 513 anos desde a "descoberta", será que alguém tem idéia de quantos corruptos existem no Brasil???


 

Lembro que a corrupção é uma rede complexa: inclui as três esferas do poder (executivo, legislativo e judiciário), donos de empresas privadas de diversos setores, passando pelo agente de trânsito que recebe uma “ajudinha” para aliviar a multa (e também aquele que paga a propina obviamente) incluindo os médicos públicos que “abreviam” a vida dos pacientes, as pessoas que sonegam impostos, os que compram e vendem mercadoria roubada ou pirata, e, não menos responsáveis, os funcionários que desviam a merenda escolar de municípios que quase nem existem no mapa do Brasil, etc, etc, etc e etc!!! (Ufaaaa... E aí? Conseguiu contar??? Eu aqui já perdi a conta.... )


 

Então, meus amigos, penso na seguinte pergunta: se existem tantos corruptos assim, quantos brasileiros são necessários para vencer este “mar de lama”??!! Um ou dois presidentes? Dois ou três governadores?? Um juiz, talvez?? Uma bancada de deputados??


 

Aaah, se fosse assim tão fácil... Essa matemática é muito mais complexa!

Pois, enquanto "nascem" alguns com vontade (e poder) para mudar algo, a quantidade de corruptos continua a se multiplicar em progressão geométrica!!


 

Então, afinal, o que fazer???


 

É um idealismo romântico (para não dizer outra coisa) acreditar que a missão de acabar com a corrupção é responsabilidade exclusiva dos poderes públicos.

Cada um de nós tem a sua parcela de culpa: cidadãos, pais, estudantes, motoristas, dirigentes de empresas, guardas de trânsito, médicos, juízes, advogados, professores...

Afinal, é fácil pensar sempre em nosso próprio benefício e apontar o dedo para o outro.


 

Gostaria muito de ver nos cartazes destas manifestações: “Vamos acabar com a propina ao guarda de trânsito e aos órgãos públicos!”, “Brasileiros, não queiram levar vantagem em tudo!”, ou ainda, “Pais, dê exemplos de atitudes éticas aos seus filhos!”

Mas, procurei umzinho sequer e não encontrei... Por que será???


 

Uma transformação social profunda, em todas as suas esferas, não só a cobrança pela parte pública, isso sim é realmente capaz de acordar esse “gigante”.

Eu acredito que uma completa "reciclagem", geração após geração, com novos conceitos, posturas e educação ética é capaz de salvar este país.


 

Imaginem a aplicação do conceito de "lixos sociais seletivos", onde em cada residência e em todo lugar, o que é bom e pode ser reaproveitado moralmente fosse separado da matéria orgânica desprovida de conceitos éticos, e que estas últimas seguissem para destruição total...

Pais dando exemplo para os seus filhos que ser honesto é uma questão de respeito consigo mesmo e com a sua consciência.

Escolas ensinando que precisamos preservar não só as florestas e os animais, mas o respeito, a solidariedade e o direito das outras pessoas.

 

Aaaaaaah, saudoso Luther King, eu também tenho um sonho...



Não quero aqui defender aqui nenhum partido, mas, em anos de história após a Nova República, eu consigo ver mudanças para os menos favorecidos na última década.
A mais recente, onde o nosso país juntamente com outros 37 ganharam este mês da FAO (Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura) um prêmio pela redução da fome pela metade. O cumprimento da meta estabelecida pela ONU, que deveria ser  cumprida até 2015, considerou a diferença do número de pessoas que passaram fome entre 1990 e 1992 e entre 2010 e 2012.

Alguém leu direito?? METADE. Metade das pessoas que passavam fome a duas décadas atrás, desde 2010 tem o que comer.
Esqueçam siglas de partido, esqueçam nomes, mas porque nenhum governo anterior conseguiu alcançar esta marca???

Claro que isso sozinho não é suficiente.
Mas, eu penso que onde se permite que exista vida, existirá sempre a esperança de um mundo melhor!

 

Enfim, em uma democracia, todos nós somos responsáveis sim por cobrar que os governantes, eleitos pelo voto, representem o que queremos para o nosso país. Manifestações pacíficas serão sempre bem-vindas!!

Mas não podemos esquecer que também somos responsáveis por fazer e dar exemplo em nossas casas, no trabalho, nos condomínios, nas ruas, nas escolas e em todo lugar.

De nada adianta continuar praticando: “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço!”


 

Acorda, Brasil!!!!!!!!


 

Cada um de vocês que protesta ou não também é responsável por exterminar a corrupção, a principal responsável por impedir que o Brasil proporcione uma vida mais digna aos que realmente precisam!!!!!


 

Somos reconhecidos mundialmente pela nossa alegria, futebol e carnaval...

Vamos tentar acrescentar neste currículo um pouco de ética e respeito aos direitos coletivos.

Nossos filhos, netos e bisnetos agradecem.


 

Pensem nisso.


 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Metamorfose ambulante - o Antes e o Depois...

Olá, queridos amigos!!!

Como é bom mudar, não é? Fazer uma nova leitura sobre a nossa vida, nossas coisas, nosso presente e, especialmente, nosso futuro...

E foi assim, movida por este "espírito de mudança" que sempre habitou em mim, que entrei de cabeça (literalmente! rs..) em uma empreitada radical: passar de loira a morena nunca tacada só!!! kkkkk...


Mas, primeiro, deixa eu fazer um briefing da coisa toda!

Faz muuuuuuuuuuuuuuuuuitos anos que sou (ops!) era loira... Lembro q comecei a usar tonalizante no cabelo, ainda na adolescência, acho que com uns 16/17 anos... (Olha lá o meu desejo de mudar desde cedo! rs..)
No início, o tom ficava um castanho dourado, meio acobreado.

E, com o passar do tempo, acho que pouco depois de terminar a faculdade, comecei mesmo a tingir o cabelo. Primeiro com um loiro escuro, depois, a saga dos anos se passaram: mechas, loiro mais claro, mechas, luzes invertidas, coloração, mais mechas, mais coloração etc etc etc... 
Só quem decide ser loira sabe como é viver escrava de coloração e "ter que" retocar a raiz a cada 30/40 dias! Sem falar na infinidade de cremes e máscaras, para tentar fazer com o que "danado" resistisse à tanta química!
(Pequena pausa para um breve momento de modéstia: os cabelereiros sempre elogiavam a hidratação do meu cabelo, mesmo eu achando q nunca estava bom! Mas todos eram unânimes em dizer que um cabelo loiro com tintura e mechas há tanto tempo, daquele jeito, só por milagre! Rsrs..)

Bom, voltando ao tema, vamos ao que interessa: muita gente tem me perguntado pq mudei tão radicalmente.

Eu explico: há tempos eu estava MUITO insatisfeita com o tom do meu cabelo... Ora ele ficava um loiro acinzentado (que é um parto para conseguir e dura pouco), ora ele ficava um tom amarelado (arghhhh... q eu odiava!).

Comecei a pesquisar na Internet "como acabar com loiro amarelado" e, depois de muito pesquisar, descobri uma tranformação no site A Busca da Beleza.
No tópico, a cabeleireira explica como fez "nascer de novo" uma cabeleira loira-laranja sofrível (Desculpem a sinceridade.. Rsrs..), transformando a moçoila em uma meio-loira-meio-morena com a promessa de, aos poucos, voltar a ser loira novamente, só que com um tom lindo feito só com mechas, sem coloração!

Lembro de ter visto a foto do resultado e ter pensado: como esta moça deve estar aliviada e feliz agora com este tom de cabelo!!! Rsrs...

Foi então que eu decidi naquele instante: é isso que eu quero!!!!!!

E, munida de determinação e coragem, acertei todos os detalhes e parti para a investida com meu cabeleireiro 15 dias depois!

Vejam abaixo o passo-a-passo da coisa (esperem só o final, pq não foi tãoooo fácil qt parece...)


O ANTES:

Foto de quando cheguei ao salão (Cabelo sem escova e "sujo": dois dias sem lavar)


PRIMEIRA TRANSFORMAÇÃO:

Cabelo pós segunda coloração, seco apenas "batendo" o secador.
Esta foto ficou com muita claridade, mas só pra vcs verem que era euzinha de verdade! (Meu reflexo no espelho! rsrs..)

Agora a foto com o tom que realmente o cabelo ficou...
Morenaaaaaaça!!!!


Aqui já foi aquele choque!! Meu Deus, ficou mais escuro do q eu estava preparada!! kkkkk...
O cabelereiro Amaury do Allure Hair precisou escureceu mesmo, pq as luzes anteriores não "fecharam" bem com a primeira coloração, q era mais clara q a da foto. Respirei fundo e pensei: que jeito!
Mas, confesso que estava empolgada com a nova "Girllem" que apareceu no espelho diante de mim! Todos no salão (que freqüênto há anos) estavam admirados e empolgados com aquela metamorfose!!! Rsrs...

Só que aquele escurão me intrigava! Decidi continuar confiante, esperando o resultado final...

Agora viriam as mechas!!!

Ao final, após a escova (e cerca de 6 horas depois de ter chegado loira!!! Rsrs..)


Então.....
Calminha!!!! Ainda não acabou!!! kkkkkkkkkkkkk...

Depois de uma tarde suuuuper cansativa, ainda não me dei por satisfeita!!
Achei que o cabelo ficou muito escuro (na foto com o flash, parece mais claro do que realmente estava..). Além disto, como eu estava muito cansada e doida para ir embora do salão, não tinha cortado o cabelo, com eu sempre fazia todo mês.

Cheguei em casa e definitivamente não era a cor que eu tinha imaginado!!! E, quem me conhece já sabe: quando ponho uma coisa na cabeça, não me contento com um resultado "mais ou menos"! rsrs...

Então, no dia seguinte, em pleno domingo, fui ao salão Studio Prime (Shopping Mooca): a cabeleireira Cris foi uma fofa, entendeu o meu "drama" e fez um verdadeiro milagre para amenizar o tom super escuro que estava me incomodando!

E, claro, fiz uma super-hiper-mega-blaster hidratação como agradecimento às minhas madeixas q agüentaram firme e forte o rojão!!! :)

Ao final, pedi que desse um corte geral para combinar com o new look.... E o resultado, voi-là!


Agora sim!!!
Amei a minha transformação!!!!
Feliz, feliz, feliz!!!!


Bom, espero que tenham gostado... :)

"Eu prefiro ser esta metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo!"

Beijos!!!!!!!
;)





segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Sabemos o que é Caridade???

Olá, queridos amigos!!!


Desde que me entendo por gente, convivo de perto com o que a formação Cristã chama de Caridade.

Mas, será que realmente sabemos o que é esta palavra significa???

Veja bem, não estou falando de esmolas dadas na rua ou na igreja, ou aquelas moedinhas que a moça do caixa praticamente "empurra" sua mão sutilmente para doar no cofrinho de uma instituição beneficiente.

Segundo definição dada pelos dicionários, a caridade é um sentimento ou uma ação altruísta de ajuda a alguém sem busca de qualquer recompensa.
Estou falando da relação do homem com seu próximo, de se doar... Aquela atitude de compaixão que hoje é tão rara de se ver...

Mas, o motivo deste post é dividir com vocês um fato que presenciei na semana passada: uma cena me fez repensar esta atitude...
Estava terminando de jantar com meu marido em um shopping. Era o início da semana e tínhamos acabado nossa atividade física na academia. Eu só pensava em jantar, chegar logo em casa e descansar!
Pouco antes de levantar da mesa e ir embora, percebi que uma senhora com o rosto deformado (não consegui identificar exatamente o que tinha em seu rosto) pedia dinheiro às outras pessoas que estavam comendo na praça de alimentação. Lembro-me de pensar que não demoraria muito para os seguranças intervirem naquela situação, pois já vi outras cenas semelhantes em outros shoppings de São Paulo.

Ao passar perto da mesa em que a senhora se encontrava naquele momento, percebi que um jovem que havia acabado de se sentar para comer, o prato ainda intocado, abriu a carteira, retirou uma cédula e entregou àquela senhora de expressão sofrida. Na hora pensei: "Ah, não acho certo oferecer dinheiro assim!". Mas, continuei andando e observando a cena.

Ao receber o dinheiro, a senhora fez um gesto de agradecimento e foi se retirando, com o intuito de abordar a mesa seguinte, acredito eu... Contudo, em questão de segundos, a senhora com uma expressão de surpresa voltou-se para o rapaz! Ela parecia estar com a intenção de alertá-lo quanto ao "engano": ele havia lhe dado uma nota de R$ 50,00. Ainda com a carteira na mão, ele respondeu: "Pode ficar! É um presente...", ele fazia um gesto com a mão para ela aceitar o dinheiro.
Esforcei-me para ouvir o que ela respondia, mas só percebi que insistia muito em devolver o dinheiro para o rapaz. Ele sorria de forma serena e continuou a repetir que o dinheiro era um presente para ela.
(Confesso que neste momento fiquei tímida ao estar parada diante dos dois, esperando o desfecho da história e continuei andando em direção à saída. Mas percebi de relançe que ela aceitou enfim o dinheiro e o rapaz iniciou a sua refeição com a mesma calma com que se sentou, minutos atrás.)

Aquela cena me tocou profundamente e, enquanto seguíamos para pagar o estacionamento, comecei a chorar em pleno shopping...

Pensei primeiro na generosidade (ou seria caridade?) do rapaz: um jovem que aparentava menos de 30 anos, não ostentava nada de luxo, nem roupas, nem sacolas caras, mas possuía uma expressão de paz e serenidade. Um rapaz que teve minha "desaprovação" no momento que abriu a carteira, mas que fez meu coração se encher de emoção ao dizer aquelas palavras tão simples: "Pode ficar, senhora... É um presente."

Em seguida, a reação daquela senhora de rosto estranho foi totalmente surpreendente para mim: a preocução em alertá-lo sobre o valor que acabara de dar e insistir para o jovem aceitar o dinheiro de volta me atingiu em cheio como uma lança!

A expressão "uns com tanto, outros com tão pouco" nunca se mostrou tão palpável para mim como naquele momento...
Porém, o que exatamente sobrava ali, ambos possuíam: generosidade.
Talvez ele fosse rico (ou não) e ela muito pobre (ou não), mas um não hesitou em ajudar o outro com o que imaginou que seria o "correto" a fazer. 

"Caridade: Doar-se sem egoísmo, sem esperar recompensa".

Inevitavelmente algumas perguntas invadem meus pensamentos: simplesmente a pobreza ou a riqueza traduzem quem realmente somos? O dinheiro que nos sobra ou que nos falta determina o nosso caráter e distingue a maneira como devemos agir com o nosso semelhante? Acho que a senhora e o rapaz provaram que não.

O que temos de pouco ou de muito tantas vezes nós multiplicamos para outras pessoas: seja nosso tempo, nossos ouvidos, ou ainda uma ajuda financeira ou qualquer outro bem material...
Meu coração se lamenta ao pensar que tantas outras pessoas "se privam" de se doar...

Contudo, concluo que o ser humano é em sua essência um espécie inesgotável de amor, talento e generosidade. E por que não chamar de caridoso?

Mais caridade...É o que eu desejo...
Contudo, não a caridade de "doação de cachê", afinal, nestes casos, o contribuinte do Imposto de Renda agradece...
Mas aquele sentimento onde quem doa é quem parece ser o maior beneficiado: ganha a oportunidade de ser uma pessoa melhor para si mesmo e para o mundo. E isso, como diria o velho jargão comercial, não tem preço!!!

(Até eu ganhei meu dia ao presenciar o que relatei aqui. Isto é que o verdadeiro poder da Caridade).

Uma ótima semana a todos!!!

Beijos!!!!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Festa Spa!

Não sei vocês, mas eu não gosto muito de ficar nas salas de espera da clínicas e consultorios, sem ter o que fazer, somente aguardando ser chamada!

Mas, para descansar um pouco os olhos do celular, sempre procuro uma revista para ler.
Claro, na maioria dos lugares que citei, encontramos exemplares bem velhinhos e surrados, não é?!

Mas, já perdi as contas de quantas dicas, idéias e coisas legais que encontrei folheando essas páginas (Mesmo se a data é de um mês e ano que você nem lembra mais... Rsrs..)

E, hoje, compartilho com vocês uma dica que achei o máximo: Festa Spa!

A pequena nota na revista VERO (Novembro/2011) comentava sobre a empresa Glitter FestaSPA.

A idéia é simples (até parece óbvia): que tal reunir as amigas para comemorar alguma data especial (ou não) em ambiente de spa personalizado, com direito a massagens relaxantes, manicure, pedicure, cremes faciais, mimos, óleos de banho, cupcakes e guloseimas???
Tudo com muito capricho e com profissionais especializados?!
GENIAL, não é?! :)

Já é possível fazer estas reuniões dentro de Clínicas de estética e Spas já prontos, mas a empresa é pioneira no Brasil em adaptar a Festa Spa em qualquer lugar: na sua casa, no salão de festas...
E mais: os detalhes da decoração, doces e lembrançinhas são customizados de acordo com o tema e as cores escolhidas para a ocasião.

A idéia, ao que parece, já conquistou as adolescentes: que A-DO-RAM se reunir no melhor estilo "Clube da Luluzinha"!

Mas, com certeza, eu já me imagino reunindo minhas amigas assim!!!! :)

Dá uma olhada em algumas das fotos:













Não é o máximo??? Eu adorei!!!!
Muito bom gosto e criatividade.
Um Luxo!!!!!*

(Ai, ai, já deu até para "sonhar" com as massagens relaxantes!!)

Eu quero fazer uma FestaSPA!!!!!!!!!!!!! kkkkkkkkkk....

Para saber mais detalhes e ver mais fotos é só dá uma olhada no site da Glitter FestaSPA.

Beijos!!!!!

*Homenagem aos meus amigos e padrinhos queridos: Josy e João Ricardo! :)

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Qual é o seu sonho???

Sonhar... como é bom conjugarmos este verbo, não é?

Eu sonho, ele sonha, nós sonhamos...

E, foi assim, conjugando este verbo juntos, no tempo Presente-mais-que-perfeito, que eu e meu Amor realizamos três sonhos de uma vez só em novembro: comemorar a nossa união em uma festa para nossas famílias e amigos queridos; conhecer a terra natal dos avós dele (Itália); e a minha paixão no mundo: Paris!

Abaixo uma pequena amostra das centenas de fotos que tiramos destes momentos mágicos, cintilantes, especiais... Como todo sonho deve ser, não é?! :)


CASAMENTO

 O sonho do convite feito a 4 mãos...

 O sonho do meu sapato azul Tiffany...

 O sonho do vestido de renda, frente única...



 O sonho da cerimônia em frente ao mar...

 O sonho maior de todos...








ITÁLIA




 Sonho e Fé!








PARIS


 Sonho de uma vida inteira...






 Sonho literalmente "delicioso"... Rs..



Jantar dos sonhos na Torre Eiffel....


Eu desejo a todos que tenham lindos sonhos: para sonhar e realizar... e sonhar de novo... e realizar de novo... e de novo... e de novo..........
 :)

Beijos!!!




terça-feira, 17 de maio de 2011

Guia de Cuidados com a Casa

Olá, amigos!

Voltei depois de um tempinho meio "ausente"...
Sorry!!

Mas, vamos ao que interessa.

Sabe aquelas situações e dúvidas que nos deparamos no dia-a-dia:
- O vestido que manchou de vinho;
- A roupa da criança que grudou chiclete e não sai de jeito nenhum;
- Como organizar roupas e enxovais para ganhar mais espaço no armário;
- Como evitar que os tecidos brancos fiquem amarelados;
- Como lavar corretamente cada tipo de roupa... etc etc etc...

São centenas de situações que, quando ocorrem, ou procuramos conselhos com nossas mães e avós ou corremos para a Intenet atrás de experiências alheias (algumas até com conselhos ineficientes ou duvidosos).


Mas, mulheres modernas (e homens tb!) contam agora com uma opção super acessível e disponível nas bancas:

A revista  Decore & Resolva - Coleção Casa & Decoração.



Por R$ 14,90 , a revista não só traz matérias úteis sobre revestimentos, tintas, rodapés, como traz dicas maravilhosas para arrumar closets, limpar sofás, cortinas, tecidos, além de um manual de como lavar e passar roupas, pendurar quadros e tirar uma série de manchas em vários tecidos!!

MA-RA-VI-LHO-SA!!!!
Amei, amei, amei!!!
Devorei a revista em minutos! Rsrs...

São dicas super simples que eu desconhecia completamente, como:
- Para tirar as queimaduras no ferro de passar, além de poder usar uma palha de aço fina, embebida em sal e vinagre morno, pode ser usado creme dental ou limpador de prata! ou
- Para tirar manchas de molho em tecidos laváveis, é só esfregar uma quantidade generosa de creme de barbear sobre a mancha e depois enxaguar e lavar normalmente.
Viu só? Aposto que você também não sabia... Rs.

E tem outras centenas de sugestões e conselhos de "como fazer" várias coisas!!!

E que tal você pode imprimir as dicas que mais gostou (ou que tem mais chance de precisar recorrer) e deixar acessível na área de serviço ou na cozinha? Se quiser plastificar o papel certamente vai durar por muito tempo...

Assim, você vai resolver rapidinho algum imprevisto e ainda tranquilizar algum convidado distraído que derrubou vinho tinto no seu sofá! :)

 

Ou ainda, você pode fazer um pequeno manual para ajudar sua secretária ou diarista a lavar, limpar e arrumar cada coisa do jeito certo!
Além de ser um bom treinamento para ela se atualizar e ser cada vez mais eficiente, não é?
Com certeza, as roupas, os objetos e o seu bolso agradecem...
Afinal, quem não quer resolver aqueles pequenos (ou até grandes!) problemas de casa com soluções rápidas, simples e eficientes?!
:)

Espero que vocês aproveitem as dicas e possam usá-las sempre que precisarem!

Beijos!!!!!



quarta-feira, 30 de março de 2011

Carro Elétrico: você ainda vai ter um!

Eis um assunto pouco comentado entre as mulheres: carros e novas tecnologias.


Claro que as conversas sobre o tema no universo feminino já evoluíram bastante ao longo dos anos: até meio século atrás era raro ver mulheres ao volante no Brasil!


Bom, mas vamos ao que interessa: já está à venda em solo Tupiniquim o primeiro carro híbrido!
Que nada mais é do que um veículo que possui dois motores: um alimentado por gasolina e outro movido à energia elétrica.


Mas você pode se perguntar: E o que eu tenho a ver com isso??
A resposta é: TUDO!


Sabemos que a maioria das fontes de energia utilizadas em nosso planeta não são renováveis: petróleo, carvão, gás natural... E todas elas são altamente poluidoras do meio ambiente, pois liberam dióxido de carbono na sua utilização, prejudicando o solo e as águas.


E o mais badalado (e assustador) efeito disso tudo é a liberação na atmosfera de grande quantidade de CO2 pelos derivados de petróleo. O que o torna o grande vilão do aquecimento global, pois a enorme maioria dos veículos (carros e motos) utiliza este combustível.


Para diminuir este impacto na natureza e nas futuras gerações, é que foram desenvolvidos os motores elétricos para os veículos. Como o próprio nome já diz, ele funciona à base de eletricidade, o que garante que não há nenhuma emissão de CO2 pelo motor, visto que não há "queima" de combustível.


Na Europa e nos Estados Unidos essa tecnologia já está bastante desenvolvida, inclusive com carros totalmente elétricos, que são literalmente ligados em uma tomada para armazenar energia, como um celular.


Contudo, somente no mês passado é que chegou ao Brasil o primeiro exemplar do gênero "semi-elétrico": o Ford Fusion Hybrid.



Os dois motores (um à gasolina e outro à energia elétrica) podem trabalhar individualmente ou em conjunto.


Contudo, duas características no modelo me chamaram a atenção:
A vantagem do sistema híbrido de operar exclusivamente com motor elétrico até a velocidade de 75 Km/h. Isso quer dizer que, dentro da cidade, praticamente só vai ser usado o motor elétrico, sem nenhuma emissão de poluentes.
- Freios regenerativos: Este sistema aproveita até 94% da energia perdida na frenagem para carregar a bateria de alta voltagem. Energia que é armazenada e reutilizada para mover o carro. Ou seja, o "anda e para" do trânsito vai ter enfim uma contribuição: gerar energia para ajudar a diminuir a poluição em sua cidade.


Quem ficou curioso pode acessar o site do modelo, onde há muitas outras informações (basta clicar no link no nome do carro, postado acima).


Então, fiquem espertos!!


Em um futuro bem próximo, todos nós estaremos dirigindo máquinas que traduzem (finalmente!!!) a preocupação do homem com a qualidade de vida dos nossos filhos, netos, bisnetos, tataranetos..... etc etc etc...


Beijos!!!!

domingo, 13 de março de 2011

Cup Cakes: essa "moda" deliciosa e irresistível!

Aposto que todo mundo já provou ou, no mínimo, já ouviu falar desses bolinhos deliciosos chamados Cup Cakes.

Aviso aos navegantes que ainda não experimentaram: as aparências neste caso não enganam! Eles são realmente muuuuito gostosos!

Minha irmã é fã e possui vários posts no blog dela sobre o tema (cuidado para não babar em cima do teclado! Rsrs..)

Mas, enfim, navegando pela Internet na última sexta-feira achei um pequeno tesouro: http://www.pamelabrandao.com/receitas/2010/11/como-fazer-cupcakes/

O site da Pâmela Brandão não só traz as receitas com vários sabores e coberturas, como também ensina o bê-a-bá dos materiais necessários, dicas de como se organizar e preparar tudo para ajudar no sucesso das receitas.

Imaginem: fiquei tão animada ao ver tudo aquilo, que chamei meu marido (Meu "Chef de Cuisine" preferido) para ir comigo comprar todos os materiais!
Obviamente, como eu já imaginava, ele prontamente se animou também para investirmos naquela empreitada deliciosa!

Pois bem, no dia seguinte, compramos tudo na Chocolândia: forma para assar, forminhas de papel, colheres e potinhos medidores, além dos materiais necessários para a receita que escolhemos: Cup Cake de Baunilha.

Após pequenas "atrapalhadas" (uma receita à quatro mãos sempre está sujeita a isso! Rsrs..), eis que surge nosso projeto açucarado: ficou uma delícia!!!!










Fizemos 10 Cup Cakes!!
(Claro, nada tão profissional ainda na aparência, mas muito saborosos!)

É bem verdade que, depois de prontos, de tanto provar o Buttercream para ver se estava bom (a cobertura que não saiu como imaginado, mas que improvisamos muito bem) cada um só conseguiu comer um bolinho, pois não agüentávamos mais ver açúcar na nossa frente! Rsrs...

Agora, boleiras e doceiras do Brasil que me aguardem: estou cheia de idéias! :)

Vou testá-las e compartilhar com vocês, ok?

Ficou com vontade também??? :)
Corre lá e faça para sua família, seus amigos, vizinhos, parentes....
E, claro, não deixe de nos contar como foi, hein? Quero fotos e tudo mais! :)

Todos vão amar esses pequenos pedaços de gostosura!

Beijos!!